sexta-feira, 15 de janeiro de 2010

Se tivesse um filho, ele seria um “Avatar”...


Se tivesse um filho, ele seria um “Avatar”...

É nesta dimensão que inicio este texto e esta prescrição de Vida. Pois a nossa, no mundo de hoje, está obsoleta.

Para ultrapassar a obsolescência de nosso teatro vital do dia-a-dia, é bom nos atentarmos às mais diversas artes e aos mais diversos estilos de vida, para podermos enxergar um pouco além e ir em direção ao nosso “Eu” verdadeiro e “absoluto”.

O Cinema como arte, talvez seja o modelo mais profícuo para se atingir um grande público mundial “de uma só vez”. E o filme Avatar _ atual modelo mais bem sucedido de uma obra de arte de mais alta tecnologia_ mobiliza uma série de questões fundamentais da modernidade, e tem um poder que ultrapassa as linhas da tela 3D.

Além de ser um divisor de águas da história do cinema, certamente o que ele nos provoca é uma sensação de estarmos participando em conexão com algo grandioso.

Através do uso da própria tecnologia, inerente à própria manufatura do filme, “Avatar” nos comunica, através do que poderia se dizer uma meta-linguagem, sobre as discrepâncias do uso irrestrito de nossa capacidade de “conquistar”, de nossa ambição desenfreada e de desbravar e assim destruir novos territórios...

O cinema ocupava um campo em que, há uns anos atrás, cuidava apenas de passar mensagens de maneira a fortalecer o “equipamento” desgregário do ser humano, principalmente dos americanos, fortalecendo a ideia e a crença de que os americanos eram os mocinhos virgens desamparados e o resto do mundo eram os inimigos nº 1 dos mesmos.

O que vemos hoje é uma possível retratação em relação a essa fonte inicial de manipulação. O Mal que assola hoje a humanidade é muito mais dissolvido e menos visível em suas origens internas, pois está lá, na mente de todos Homens.

É talvez, um modismo, dizer que estamos caminhando a uma maior consciência. A minha impressão é que existe uma pequena parte da humanidade que esteja indo em direção a uma maior consciência.
E parte do que vemos no filme Avatar, é uma sutileza popular em forma de tecnologia em sua mais alta perfeição, que atinge o âmago das questões atuais.

Em um tempo sem precedentes que vivemos, temos o desgosto ou o privilégio de podermos encarar um momento único da história humana. A sua profunda conscientização é praticamente um dever e uma responsabilidade. Ou então, a sua destruição, que já está caminhando a passos largos.

Como vamos participar deste único e talvez último chamado?

Já estamos em um mundo em 3º Dimensão, resta-nos usar a faculdade de pensar, talvez pela primeira vez.

4 comentários:

Lipe disse...

Brilhante!

Dizem que a taxa de suicídios aumentou após o lançamento do filme, entre os jovens.

Pode ate ser. Mas espero também que a taxa de jovens conscientes da ação depredatória do homem no planeta também tenha aumentado...

ps: meu penúltimo post é sobre Avatar tmbm, falo da questão da conquista, da propriedade..

Fynealhns disse...

Caio,

Brilhante sim!

Concordo com o Lipe.

Eu acho que Avatar nos lembra o quanto perdemos de nossa conectividade e o quanto nos esquecemos da Simplicidade.

... tanta conquista, tanta propriedade; tanta impropriedade!

Lembrei disto, que o Coringa postou lá meu post - Just Living:

Sta Simplicidade [ rogai por nós]

Gostar é simples assim
Ares de contemplação
Na cegueira dos mais sublimes sentimentos humanos
Mais que os manjares dos ricos
É o inconfundível cheiro do café ainda a passar

É gosto de fruta madura
A imagem da mesa posta
O cheiro das manhãs frescas de verão
/como se as manhãs tivessem cheiro/

O mágico fascínio de coisas simples e cruas
Autênticas

É o descanso de um abraço
No soberano espaço de um olhar
É um querer
Um prazer sem sentido

Santa Maria da Simplicidade
Perdoai aqueles que não sabem
Da graça em abundância
Do supremo luxo
Que é o simples gostar

(Georgiana de Sá – .overmundo.com.br)

Mas é preciso e só é preciso ter corpos suscetíveis à simplicidade pra que alma respire: ou ... lembrar que os temos:

[ Preciosa e rara] Santa Maria da Simplicidade
Perdoai aqueles que não sabem….

- que existem crianças cor de romã!

- Bocas de açaí e capim rosa chá ! :

http://www.youtube.com/watch?v=Ik0U1PIMxTk&feature=PlayList&p=C1430ADDF352136A&playnext=1&playnext_from=PL&index=56

Bjs

Fy

Caio disse...

é isso mesmo! Simplicidade.. é a chave..
bjs

brasil disse...

Bom texto, não tinha me ocorrido isso.